História

Baía da Ponta do Sol - MadeiraSituada a 18 Km do Funchal, Ponta do Sol é a sede do Concelho. Localizada na costa sul da Ilha da Madeira, é limitada a oeste pelo concelho da Calheta, a norte pelos concelhos de São Vicente e Porto Moniz, e a leste pelo concelho da Ribeira Brava.

O Seu Topónimo surge porque Gaspar Frutuoso refere que em 1420, João Gonçalves Zarco, em viagem de reconhecimento da costa da Madeira, atingiu uma ponta que entrava no mar e sobre a qual se avistava uma rocha que, de tão polida pela rebentação do mar, parecia iluminada pelo reflexo dos raios solares. Desta constatação lhe advém o nome de Ponta do Sol.

A extensão deste concelho viu-se reduzida ao longo dos anos. Em 1511, com a criação da vila da Calheta e em 1914, depois da criação do novo concelho da Ribeira Brava.

Hoje, a sua área distribui-se por 3 freguesias: Canhas, Madalena do Mar e Ponta do Sol.

Não há duvidas que este povoado apareceu ainda no século XV e que devido ao seu porto e terras férteis, progrediu tão rapidamente que se pode afirmar com segurança que, antes de 1486, já a população tinha a sua igreja, atribuindo-se a construção a Rodrigo Enes, um dos primeiros colonos da Ponta do Sol.

Foi nesta igreja de invocação a Nossa Senhora da Luz sede da paróquia, na segunda metade do século XV. Depois de Machico, e por alvará de D. Manuel datado de 2 de Dezembro de 1501, esta povoação é elevada à categoria de vila e concelho municipal, ao que não foi alheio o progresso verificado neste núcleo populacional. Na base desta prosperidade económica estiveram plantações de cana sacarina, embora a cultura de cereais, nomeadamente, do trigo, representasse um rendimento significativo.

O açúcar foi a principal moeda de troca com o reino que, desde o início, era solicitado pelos mercadores nacionais e que por ele trocavam uma grande variedade de produtos necessários ao consumo e ao uso quotidianos (ferramentas, panos, tecidos, telha, louça, ferro, sal, azeite).

Sabe-se que ao findar a era de quatrocentos, já o “ouro branco” era bastante para o consumo das ilhas e do reino, e ainda suficiente para exportar para o estrangeiro.

Para o progresso da população da Ponta do Sol, e à semelhança do que aconteceu em toda a parte sul da ilha, mais densa e mais visitada, contribuíram, para além de portugueses, elementos estrangeiros. O orago desta freguesia é Nossa Senhora da Luz. Presume-se que esta santa teve como primeiro templo a “Capela do Coxo”, que inicialmente foi construída na igreja matriz, em honra de Nossa Senhora do Patrocínio. Esta capela sofreu uma grande alteração no século XVII, sendo nela que ainda hoje se venera a Nossa Senhora da Luz, padroeira da freguesia.

Brasão

Aprovado pela Assembleia Municipal em reunião ordinária realizada em 30/12/94 nos termos da lei n.º 53/91 de 7 de Agosto publicado na III série n.º 35/95 do Diário da República de 10 de Fevereiro de 1995. 
Este símbolo do concelho é constituído por:

  • Brasão (Escudo azul, sol de outro. Coroa mural de prata de quatro torres. Listel branco, com a legenda a negro, em maiúsculas: "PONTA DO SOL".);
  • Bandeira (Esquartelada de branco e azul. Cordão e borlas de prata e azul. Haste e lança de ouro.);
  • Selo Branco (Circular, com peças do escudo sem indicação de cores e metais, tudo envolvido por dois círculos concentricos, onde corre a legenda: "Câmara Municipal de Ponta do Sol").

Bandeira - Município da Ponta do Sol
Bandeira - Município da Ponta do Sol
Brasão do Município da Ponta do Sol - Madeira
Brasão - Município da Ponta do Sol

Registe-se na nossa newsletter!

Registe-se nas nossas newsletters e receba as últimas novidades do concelho.

Login

Please login using your credentials recived by email when you register.

I forgot my password | Resend activation e-mail

×