Grupo de Folclore da Ponta do Sol

Grupo de Folclore da Ponta do Sol

RESENHA HISTÓRICA

Com povoadores de origens tão diversas a nível de categorias sociais e localidades, logo a Ponta do Sol se torna ponto de confluência de culturas que vão sendo assimiladas e enriquecidas, constituindo uma herança etnográfica a preservar, onde estão subjacentes o trabalho, o divertimento, a religiosidade e sofrimento deste povo.

Foi para salvaguardar este património cultural em risco de se perder que surgiu em 2 de Agosto de 1981 o Grupo Folclórico da Casa do Povo da Ponta do Sol, hoje designado Grupo de Folclore de Ponta do Sol, com o objectivo de recolher, preservar e divulgar os usos, costumes e tradições da Região Autónoma da Madeira, em particular o concelho da Ponta do Sol.

Foi feito um exaustivo trabalho de recolha, através de contactos directos com a população mais idosa detentora de memórias culturais significativas; danças, canções, objectos relacionados com as actividades agrícolas e domésticas do passado, bem como, roupas e artesanato que o grupo tem procurado adquirir sempre que possível.

Ao longo da sua existência (25 anos), este grupo tem funcionado como uma autêntica Escola de Folclore e de Vida, onde se promove a formação contínua, teórica e prática das crianças, adolescentes, jovens e adultos. O ensino da música, dança e do canto é ministrado a dois grupos distintos: crianças entre os 6 e os 12 anos às sextas-feiras, das 19 às 20:30 horas, e para os adultos, aos Sábados das 20 às 22 horas.

A Ponta do Sol tem inscrito o seu nome na Federação de Folclore Português através do nosso grupo que é membro efectivo daquela organização desde 1990, sendo o primeiro grupo madeirense federado.

TRAJES

No nosso grupo estão representados vários trajes, usados nos finais do século XIX e início do século XX pelas gentes do nosso concelho. Desde a vida rural à pesca, do Domingo até aos noivos, da mulher rica às pequenas saloias do Espírito Santo, de tudo isto temos já uma representação, com tecidos que vão do rude tear à mais fina cambraia.

Destaca-se neste grupo o traje de baeta, de cor azul, preto e castanho, geralmente usado pela mulher casada: saia e capa em baeta debruadas, blusa de chita e lenço branco de cambraia atado debaixo do queixo.

No homem destaca-se o traje de seriguilha, um aspecto serrano (pastor e agricultor) das zonas mais altas e frias: calça e colete em seriguilha, camisa em linho, barrete de orelhas de lã de ovelha e bota chã em pele.

Temos também representado o pescador e respectiva companheira: ele com calça e camisa de estopa, pés descalços e chapéu de palha com aba larga, enquanto ela trajava saia de estopa empregada e comprida acompanhada com blusa de chita.

Uma outra curiosidade é o traje de noiva, usado no final do século XIX e cujo véu era de cor preta, simbolizando a submissão da mulher em relação ao marido através do casamento, ramo e grinalda feito artesanalmente em cera.

Também estão representadas no nosso grupo as saloias - duas meninas que acompanhavam as insígnias do Espírito Santo e respectivos festeiros por ocasião da visita Pascal. As saloias trajavam e trajam, ainda hoje, vestido branco de linho, com botões de ouro no colarinho, manga curta franzida e saia também franzida. Habitualmente o vestido é ornamentado com colares de ouro e folhas de alegra-campo verdes. Sobre o cabelo trançado coloca-se uma carapuça enfeitada com colares e prendas de ouro. E, para completar o conjunto, bota chã e rica capa vermelha ornada de flores (perpétua amarela) e muitas prendas de ouro.

DANÇAS, JOGOS E CANTARES

No cantar e no bailar destacam-se as danças que lembram os escravos que habitaram estas terras - o baile da Ponta do Sol - e, muito ao sabor das romarias e do agrado do nosso povo, o baile dos Canhas. Merecem também referência o «Baile do Vira-Vira Está Queimado», alusivo à confecção da tradicional espetada, e o «Baile da Mourisca», lembrando o «peneirar» da farinha que faz o pão. Tudo isto acompanhado dos instrumentos tradicionais madeirenses, nomeadamente o braguinha, rajão, viola de arame, violino, harmónica, brinquinho, sininhos e o bombo.

Merecem também atenção as várias cantigas do trigo, que no tempo das ceifas entoavam nas encostas e vales da Ponta do Sol, por vezes verdadeiros «Despiques» de um lombo a outro entre grupos de ceifeiras.

O grupo tem também dedicado especial atenção aos jogos tradicionais (Rica-Rica, Olha Triste Viuvinha, Condessa, entre outros), desde a recolha das cantigas e gestos que davam cor a essas brincadeiras, até à recolha e conservação de peças de artesanato que lhes estão subjacentes.

PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS REGIONAIS, NACIONAIS E INTERNACIONAIS

REGIONAIS

Com o objectivo de animar e promover a cultura popular da Ponta do Sol a todos os que nos visitam, o grupo tem actuado:

• Regularmente em diversas unidades hoteleiras, restaurantes e Barcos de Cruzeiros;
• Festas tradicionais;
• Inauguração de obras prestigiantes para o Concelho da Ponta do Sol;
• Inauguração do Aeroporto da Madeira;
• Cortejos da Festa da Flor;
• Dia da Autonomia;
• Festa do Vinho;
• Festas de Fim de Ano;
• Festa do Pêro, Castanha, Cereja e da Banana;
• Feira do Gado;
• Festivais e Encontros de Folclore;
• Em diversos programas na RTP Madeira, RTP Internacional e rádios locais.

NACIONAIS

No Território Nacional o grupo participou:

• Desde 1986, em diversos Festivais Nacionais e Internacionais de Folclore em todos os distritos do país, incluindo as Ilhas dos Açores;
• Actuou na Gala da Cruz Vermelha, no Hotel Ritz/Lisboa em missão de solidariedade;
• Esteve presente nas comemorações do 15º aniversário do Restaurante «O Madeirense», propriedade de um Pontassolense;
• Em diversos programas da RTP1 e rádios locais.

INTERNACIONAIS

Tendo em vista a promoção da Ilha da Madeira no exterior o grupo participou:

• Em diversas vezes na vizinha Espanha;
• Como representante de Portugal no XXVI Festival Internacional dos «Jeux Santons», em Saintes, região do Sul de França;
• Em diversos eventos na Comunidade de Emigrantes no Brasil e no Festival Internacional de Folclore em Santos, nos meses de Julho e Agosto de 1999;
• A convite da Secretaria Regional do Turismo e Cultura, em Fevereiro de 2003, numa promoção do destino Madeira na Alemanha, na cidade de Dresden e em Março de 2005, em Canárias (Gran Canárias e Tenerife);
• Em 2005 esteve presente em eventos relevantes na Cidade de Estraburgo/França.

PROJECTOS REALZADOS E PARCERIAS

Ao longo da sua existência, o Grupo tem-se empenhado em organizar eventos de qualidade, não só de carácter Cultural, mas também social, envolvendo a população onde está inserido:

• Por ocasião das «Festas do Concelho de Ponta do Sol», o nosso grupo organiza todos os anos o maior Festival de Folclore Nacional e Internacional da Zona Oeste da Madeira, onde estão presentes grupos que pelo seu trabalho dignificam o folclore Regional, Nacional e Internacional;
• Desde 1990 a 2000 o grupo teve a seu cargo a apresentação de Exposições Etnográficas ao Vivo, no centro do Funchal, por ocasião das Festas do Natal e Fim de Ano;
• Editou uma cassete áudio em 1985;
• Gravou um CD e cassete áudio em 1994 com o título «Cantares da Terra do Sol »;
• Organizou o primeiro Congresso de Folclore da Madeira, em 1994 e o segundo em Maio 2001, integrado nas comemorações dos 500 anos da Ponta do Sol;
• Em 1996, realizou o filme documentário «Costumes e Tradições da Nossa Terra», retratando várias cenas do quotidiano regional dos finais do séc. XIX até meados do séc. XX;
• Em colaboração com a Federação do Folclore Português, organizou em 2001 a 8ª Exposição Nacional de Trajes ao Vivo, na Ponta do Sol e Funchal;
• Em Março de 2005, lançou o filme documentário em DVD, sobre "A Tradição do Espírito Santo na Ponta do Sol";
• Exposições de Fotografia 2001 e 2006;
• "Encontro Nacional de Concertinas" na Ponta do Sol, 2006;
• Reeditou o CD "Cantares da Terra do Sol" a 2 de Agosto de 2006, nas comemorações do 25º Aniversario da sua fundação;
• Em Dezembro de 2006 editou o 2º CD , denominado "Cantigas de Sempre";
• Projecto iniciado em 2003 denominado "Raízes da Nossa Terra", em parceria com Escolas do Primeiro Ciclo e B+S da Ponta do Sol, com o Objectivo de Sensibilizar as Crianças para a Valorização e Preservação do nosso Património Cultural;
• Projecto denominado "Conheça a nossa Terra fazendo connosco Passeios a Pé", com o objectivo de sensibilizar os participantes para preservação do ambiente e proporcionar hábitos de vida saudáveis;
• Projecto denominado "Ponta do Sol em Movimento", com a finalidade de proporcionar aos interessados o ensino da Dança de Salão e da Ginástica/Aeróbica;
• Participação nas marchas de Santo António e São João, durante o mês de Junho, em colaboração com a Casa do Povo;
• Espectáculo "Cantares de Reis da Ponta do Sol" no Auditório do Centro Cultural John dos Passos, com a colaboração das restantes associações do Centro Cultural.

Contactos

Morada

Portugal

Registe-se na nossa newsletter!

Registe-se nas nossas newsletters e receba as últimas novidades do concelho.

Login

Please login using your credentials recived by email when you register.

I forgot my password | Resend activation e-mail

×